Neste Blog...

... tenho a liberdade de escrever e deixar ler a quem interessar alguns poemas, fotografias, críticas e outras coisas.A efemeridade da vida e o seu processo cíclico, a efervescência dionisíaca da sociedade são assuntos que quero botar em discussão.Então...fiquem a vontade.

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

REFLEXÕES EM BELCHIOR



Não quero lhe falar meu grande amor, mas se você vier me perguntar por onde andei no tempo em que você sonhava. De olhos abertos lhe direi: eu me desesperava!
Hoje, tenho 38 anos, de sonho e de sangue e de América do Sul. Eu tenho medo e já aconteceu, medo e inda está por vir, talvez o desespero esteja na moda, tanto faz em 1976 ou 2016, dias em profundo desânimo. Segundo um analista, amigo meu me diz que desse jeito não vou ser feliz direito, faço morrer o meu medo e isto não é segredo, acredito que tenho o dever de ter esperança, faz parte da “divina comédia humana” onde nada é eterno.
Muitos companheiros, ainda ao lado nessa jornada, mas sempre há aquele amigo que embarcou comigo cheio de esperança e fé, já se mandou, sentado à beira do caminho pra pedir carona.
A vida é assim, feita pra quem quiser ter um mínimo de coragem, o mundo inteiro está naquela estrada ali em frente e cada caminho é uma viagem sem volta, e cada um decide qual irá trilhar.
E eu escolhi, e vou viver as coisas novas, que também são boas O amor/humor das praças cheias de pessoas e posso abrir os braços, para os abraços dos meus e falarei para a vida: Vida, pisa devagar meu coração cuidado é frágil; meu coração é como vidro, como um beijo de novela.
Por hoje, tudo que eu quero é uma balada nova, falando de brotos, de coisas assim. Eu quero um gole de cerveja, meu bem, no seu copo no seu colo e nesse bar. Agora eu quero tudo, tudo outra vez (...)
Sim, já é outra viagem, tenho essa pressa de viver, quero a atitude de ocupar espaços nesse mundo,pois ainda sou estudante da vida que eu quero dar, afinal de contas, a felicidade é uma arma quente!
E eu quero que que o corte na carne não seja na nossa, quero gritar em voz alta:
FORA TEMER, VOLTA BELCHIOR!

VOE ALTO BELCHIOR! (1946 - 2017)

sábado, 28 de maio de 2016

terça-feira, 2 de junho de 2015

Fragmento.

Na verdade eu queria SER-TE
Fragmento de teu corpo
Pensamento...

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Kireji

Da dura vida de ser poeta.
Penso em ser...só!

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Vende-se Poesia!

Poesia à venda
Nos bares
Nos becos
Nas ruas
Nos motéis baratos.
Vendo à cada esquina
O produto do pensamento
 Amor em consumo
Ou sexo pago
Vendo!
Um pedacinho da alma
A preços módicos...

sábado, 30 de agosto de 2014

Assassinato

Pergunte ao poema:
Por que é poema?
Depois mate-o!

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Dentes de Leão






Desistir do que não tem mais cabimento
Roupa sem caimento
Sujeito sem documento
Relações sem sentimento
Ações sem pensamento.
Das sementes que não germinam
Jogue-as ao vento
Assim quem sabe florescerão
Num outro tempo
Em pedaços de nuvem
Aterrizando nos sonhos
Simplesmente
Dentes de leão.